Ecosan fornece equipamentos para o projeto de expansão da estação de tratamento de esgoto Camanducaia

0
236

409

Após firmar, há mais de dez anos, o compromisso de disponibilizar peças para a ETE – Camanducaia, em Jaguariúna / SP, a Ecosan, em parceria com a construtora AEX Engenharia, vai fornecer equipamentos para as obras de expansão da rede. O investimento faz parte de um pacote que tem por objetivo tratar 100 % do esgoto sanitário doméstico da cidade em 2016.

Essa parceria garante o compromisso entre a Ecosan e a prefeitura da cidade. Estamos fornecendo equipamentos que vão qualificar essa nova fase do tratamento de esgoto Camanducaia”, comenta André Telles, diretor executivo da Ecosan.

De acordo com a Prefeitura de Jaguariúna, este será o terceiro módulo da estação e ela foi projetada para atender um total de 30.000 habitantes, e está de acordo com as legislações para o lançamento no Rio Camanducaia, classe 2. A Ecosan já havia fornecido os equipamentos para tratamento primário e secundário de todas as etapas do projeto.

O processo adotado será do tipo clássico, denominado como “Lodos Ativados” e tipo “Aeração Prolongada”, e ocorre da seguinte forma: o esgoto residencial é encaminhado à estação de tratamento de esgoto ETE, onde passará por um tratamento preliminar constituído de gradeamento e caixas de areia, lá serão removidos os sólidos grosseiros. Após o tratamento preliminar, os despejos passarão por um medidor de vazão e seguirão para a caixa de distribuição, que efetua a divisão dos volumes para tratamento em três lagoas aeradas, iniciando-se assim a fase biológica do tratamento.

O sistema consiste em manter uma grande quantidade de bactérias aeróbias em contato com a matéria orgânica presente nos despejos, promovendo a oxidação bioquímica destes poluentes. O oxigênio requerido para a manutenção será garantido por aeradores superficiais flutuantes. A massa de bactérias é denominada como lodo, que é mantida em recirculação, e descarta somente a parcela em excesso.

Após a etapa de oxidação biológica nas lagoas de aeração, os despejos seguirão para os três decantadores, executando a sedimentação do lodo e a clarificação dos despejos. Ao final do percurso, o lodo sedimentado segue por gravidade para o poço de bombas e uma parte volta para as lagoas aeradas, passando pelos medidores de vazão, caracterizando-se assim o tratamento dos esgotos pelo processo de “Lodos Ativados”.

Para mais informações, o canal da AEX Engenharia, no Youtube, oferece um vídeo contendo imagens aéreas do local da obra :

https://www.youtube.com/watch?v=q9mVZCvslbE

Ecosan

Fonte: Ecosan fornece equipamentos para o projeto de expansão da estação de tratamento de esgoto Camanducaia –