Monte Verde prevê prejuízo de R$ 10mi com onda roxa

0
651

EDIÇÃO DO DIÁRIO com agências nacionais


O fechamento do turismo e do comércio de Monte Verde (MG) em razão da adesão à onda roxa anunciada pelo governo do Estado, que deve durar, inicialmente, 15 dias, deve causar um prejuízo de cerca de R$ 10 milhões ao distrito de Camanducaia. Para minimizar as perdas, que se acumulam desde o ano passado, a MOVE (Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região) desenvolveu um pacote de ações que auxiliam na sobrevivência dos negócios locais em meio a maior crise sanitária e econômica do país.

“Amor nas Montanhas”

Para incentivar a economia local, a agência planejou um evento especial com dois meses de duração para estimular a busca de visitantes por Monte Verde. Com início em 11 de junho e encerramento em 14 de agosto, a vila receberá um misto do “Amor nas Montanhas”, em comemoração ao Dia dos Namorados; “Inverno nas Montanhas”, referente ao período de alta temporada; e o “Festival Gastronômico”. O projeto passa por elaboração final e será realizado com recursos da Lei de Incentivo ao Turismo.

“Todas as nossas ações, desde o início da pandemia, têm sido respaldadas nas orientações das autoridades de saúde, não só para garantir a economia de Monte Verde, mas para mantermos nossos funcionários, moradores e visitantes seguros. Estamos a todo o tempo acompanhando os acontecimentos e pensando em alternativas para mitigar os danos, tanto quanto for possível. É importante ressaltar que atuamos lado a lado com a prefeitura e estamos constantemente dando suporte em ações que possam diminuir o agravamento da situação, como na compra de respiradores, por exemplo”, afirma Rebecca Wagner, presidente da MOVE.

Entre as parcerias firmadas pela MOVE estão a contratação de serviço de sanitização com 50% de desconto para associados; propostas de créditos e financiamentos com condições exclusivas pelo Sicoob (Sistema de Cooperativas de Crédito); valores exclusivos na instalação de equipamento e venda de produtos para higienização e desinfecção de ambientes; contratos com proposta diferenciada com produtores de bebidas; valores diferenciados na distribuição de gás, bem como na compra de produtos de limpeza.

Relacionamento com o visitante

A MOVE também contratou um especialista para reestruturar e modernizar o site oficial do distrito (www.monteverde.org.br) para dar maior visibilidade aos seus associados. “O site já aparece na primeira página de busca do Google e, agora, queremos que ele seja o principal acesso para quem deseja saber em primeira mão as informações do distrito”, argumentou Rebecca. “Trabalhamos para atender ao turista em todas as frentes: hospedagem, gastronomia, lazer, compras e, principalmente, informação atualizada e precisa. Somos o principal ponto físico de apoio e informação ao turista. Nossas redes sociais trabalham para levar ao cliente/visitante o melhor conteúdo, real e informativo. Promovemos parcerias com influenciadores que estão de acordo com as nossas estratégias para divulgação do destino por meio de permutas”, completou.

Onda Roxa

Para restringir a circulação de pessoas, Camanducaia (MG) e Monte Verde contam com barreiras nas entradas das cidades, que também contam com fiscalização rigorosa pelas Polícias Militar e Civil, bem como pela Vigilância Sanitária. As novas regras incluem o funcionamento apenas das atividades tidas como essenciais; fechamento do comércio e do turismo; funcionamento de restaurantes apenas para entrega; toque de recolher das 20h às 5h, entre outras.

Origem: Monte Verde prevê prejuízo de R$ 10mi com onda roxa